Dor nas costas

Dor crônica nas costas: o que pode ser?

A dor nas costas é o principal fator para o afastamento do trabalho superior a 15 dias. A dorsalgia, nome técnico para o sintoma, tem diversas causas, que podem envolver alterações nos músculos, articulações ou nos nervos. Nós avaliamos e tratamos dores crônicas na coluna que não responderam aos tratamentos convencionais. A dor nas costas é sintoma muito comum e, provavelmente, você já o teve em algum momento da vida. O maior problema é quando a dor se torna crônica, pois dores agudas, em geral, são mais fáceis de diagnosticar e resolver. A parte mais afetada em dores na coluna é a região lombar (parte inferior da coluna), próxima às nádegas. Essa é uma região que sofre maior pressão, seja pelo peso, má postura ou traumas.

Qual a causa da dor nas costas?

Existem mais de 50 doenças associadas à dorsalgia. As mais comuns são resultado de movimentos bruscos, mau jeito, entorses, carregamento de peso excessivo e problemas posturais. Hoje sabemos que 85% das dores lombares são “inespecíficas”, ou seja, não é possível identificar uma causa clara como uma hérnia de disco ou uma inflamação das articulações facetárias. Essas dores de causas inespecíficas (normalmente de origem muscular) podem cronificar e responderem muito pouco aos tratamentos convencionais. Classificação para as dores quanto ao tempo de duração:
  • Aguda: Pode durar até seis semanas;
  • Subaguda: a dor pode estar presente de seis semanas a três meses;
  • Crônica: Persiste por mais de três meses.
Outro ponto a observar é se a dor está localizada apenas em um ponto ou se ela irradia para as pernas e glúteos. Nesse caso, ela pode indicar a presença de alterações nervosas. Veja agora algumas causas específicas  para a dor nas costas, mas, como falamos, essas causas, facilmente detectáveis em exames, representam a minoria dos casos:

Hérnia de disco

Os ossos da coluna (vértebras) são protegidos por articulações que promovem flexibilidade à espinha. Entre as vértebras estão os discos intervertebrais que amortecem o impacto na coluna. Quando a estrutura interna do disco (composto por material fibroso) escapa da parede discal, temos uma hérnia de disco. Isso causa uma deformação nos discos intervertebrais, que podem comprimir e inflamar as raízes nervosas próximas a ele. Nos casos mais graves, a própria medula espinhal pode sofrer compressão. Com isso, o indivíduo pode sofrer com dores na coluna e até mesmo nos braços e pernas. Além da dor, pode haver dormência, formigamento, alteração nos movimentos e choque nos membros.

Artrite e fraturas

As vértebras se articulam entre elas através das articulações facetárias, que são articulações muito pequenas. Como qualquer articulação, elas podem inflamar e causar dor. Fraturas vertebrais também são causa de dor. Fraturas costumam ocorrer por trauma, osteoporose e tumores.

Ciatalgia

A dor no nervo ciático (ciatalgia) é resultado da compressão deste nervo, localizado na lombar e nádegas. Este é o maior nervo do corpo humano. Além de causar dor nas costas, a ciatalgia também provoca sensação de formigamento nas pernas, além de fraqueza e dificuldade para andar.

Outras causas para a dor nas costas

Como dissemos anteriormente, existem mais de 50 causas para as dores nas costas. Abaixo alguns exemplos:
  • gravidez;
  • obesidade;
  • inflamação na articulação sacroilíaca;
  • espondilolistese;
  • doenças reumatológicas como espondilite anquilosante
  • fraturas;
  • entorses e distensões;
  • tensões musculares;
  • artrose facetária;
  • escoliose;
  • tumores;
  • fibromialgia;
  • transtornos emocionais como depressão e estresse;
  • doenças psicossomáticas.

Quando as dores se tornam crônicas?

Os estudos mostram que as dores agudas podem se tornar crônicas quando não são tratadas adequadamente, quando os fatores que causam a dor, como obesidade, sedentarismo, má postura ou comportamentos repetitivos, não são resolvidos, após cirurgias da coluna, em doenças reumatológicas e quando a pessoa apresenta transtornos psiquiátricos ou características psicológicas que predispõe a dor crônica, como catastrofização, hipocondria, somatização, ansiedade e tendência ao medo).

Tratamentos para dores crônicas na coluna

Dores agudas e com causa definida, como uma fratura ou hérnia discal, são mais fáceis de diagnosticar e tratar. O problema está quando a dor é crônica, as causas não são bem definidas (85% delas), os fatores emocionais estão perpetuando a dor e os tratamentos não deram resultado. É importante lembrar que cirurgias para dor na coluna se mostraram ineficazes e podem até piorar o quadro doloroso. A cirurgia para dor na coluna é reservada para casos raríssimos em que há claramente uma causa anatômica provocando a dor e somente após o tratamento conservador ter falhado. Em nossa clínica, após a avaliação da história do paciente e do diagnóstico, utilizamos técnicas que se mostram eficazes nos casos de dor crônica. Abordamos os fatores psiquiátricos e psicológicos que estão envolvidos na quase totalidade dos pacientes com dor crônica. Além do tratamento medicamentoso convencional, utilizamos remédios naturais que se mostram eficazes tanto para uso oral como para uso no local da dor. Também utilizamos a “estimulação magnética transcraniana” que é um tratamento moderno e indolor que tem eficácia comprovada para dores crônicas, a inativação de pontos gatilho através de pulsos magnéticos, bem como podemos fazer uso de ketamina, canabidiol e lidocaína quando indicados. No site: www.jordanocopetti.com você encontra mais detalhes sobre os tratamentos para dor crônica.
Powered by Rock Convert

O que deseja encontrar?

Compartilhe

Share on facebook
Share on linkedin
Share on google
Share on twitter
Share on email
Share on whatsapp